Qualquer problema pode ser resolvido com álcool.
Só varia o acompanhamento: um copo ou um fósforo.

terça-feira, 21 de maio de 2013

#Dia 103 - História - Pense Magro, tarefas 11, 12, e 13

Daí que... um tantãão de gente não sabia que eu moro em Londres e eu decidi falar mais sobre isso e sobre como é morar aqui!
Já vou avisando, post comprido, se não tiver afim não leia...
Tá Sche, como você foi parar aí?
Tudo começou em fevereiro de 2011, quando eu estava e loira no aconchego da minha casa no interior de SC (Salete, pra ser exata, sim é esse mesmo i nome da cidade) e eu e uma amiga (na época) resolvemos ir pra um um rodeio, numa cidade vizinha! (Pra que não sabe, eu sou APAIXONADA por cavalos)
Chegando lá enxemos a cara bem lindas, aproveitamos e viemos embora! DE MOTO, entenda-se por moto uma Bis, que absurdo! No caminho de volta caímos, e sim, eu fui de cara no chão, esfolei todo o rosto (e tenho cicatrizes de merda até hoje)! Não mostro as fotos porque eu tenho vergonha, ficou HORRIVEL mesmo, e eu chorava o tempo todo dizendo que nunca mais seria bonita.
Bem..
Pleno carnaval, eu com a cara esfolada... E sozinha! Porque né?
Dai que aqui em Londres não tem carnaval.. E comecei a conversar com o Junior (meu marido) pela internet!
NOTA: namoros de internet dão certo
NOTA 02: e por experiência própria, eles são terriveis.
Em Junho (de 2011) começamos a namorar!
Em Setembro (de 2011, também) ele me pediu em casamento, e eu aceitei.
NOTA 03: Sim, tudo pela internet
Ele foi pro Brasil em Novembro de 2011 e noivamos (no dia que ele chegou).
Casamos em Janeiro de 2012 no civil e em Março (do mesmo ano) eu vi parar aqui.
Ufa, rapidamente resumido!
NOTA 04: sim, o Junior é brasileiro, e da minha cidade, por sinal. E tio das minhas melhores amigas. E NÃO eu nunca tinha ficado com ele antes, conhecia só de vista.
Foi amor, e pode acontecer pela internet, mas não SÓ pela internet. Eu tive certeza que queria ficar com ele 'pra sempre' quando tivemos contato fisico! Se é que vcs me entendem! Kkkkkk
Fotos do casamento no civil + praia:
Com 77 absurdos Kg:








Meu amores (minha familia)














Casamento no religioso: (final de 2012)







Minha familia:
Pai, eu, amor, mana, cunhado, mãe, e minha irmãzinha (que já não é mais tão 'inha' assim)




Sobre Londres:
A) eu AMO esse lugar
B) é caro morar
C) tudo é longe
D) é seguro, sim, eu posso usar meu iPhone na estação, no metro, ou no onibus e não ter medo de ser assaltada
E) os produtos são BEM mais baratos que no Brasil
F) eu ganho 6x mais do que no Brasil!
G) é CARO morar
H) é muito CARO morar aqui!
Kkkk, porque é mesmo gente!
Mas vale a pena, é tudo lindo e perfeito!
Aliás, tem um GRANDE defeito:
minha familia continua no Brasil!
Ufa, finalmente. Hehe!
#Mudando de Assunto
As tarefas do Pense Magro (que estou devendo)
Tarefa 11 - Deferencie fome, vontade e desejo incontrolável de comer




Aprendi a diferenciar quando era fome ou vontade de comer, porque a maioria das vezes era sede... rs.
Pasmem: Sede, muitas vezes nos deixa com aquela sensação de que estamos com "vontade" de comer alguma coisa.
A autora diz que precisamos "monitorar a fome" para aprender a identificar os seus sinais, sobretudo o modo como sentimos o estômago, se dói, se está realmente vazio antes de cada refeição, como nos sentimos em relação a isso.
O fato é que "entre 20 minutos e 3 horas depois de ter feito uma refeição razoável, qualquer urgência de comer novamente será provavelmente devido ao desejo de comer e não à fome" então nessas horas podemos dizer tranquilamente: "não estou com fome, apenas quero comer mais, porém, não farei isso porque quero emagrecer!".
Tarefa 12 Pratique tolerância a fome.
Essa tarefa é um pouco mais complicada, e eu já fiz! o//
Eu senti dores de cabeça, e bastante fome. Mas confesso que não foi insuportável ficar sem comer, se eu precisar posso ficar algumas horas sem me desesperar!
Thank you, tia Judith!
A autora do livro afirma que as pessoas que fazem dieta tem sensações intensas de fome, por isso, a ideia aqui é aprender que quando sentir fome fora do horário da refeição é preciso ser firme e dizer:
"paciência, eu gostaria de comer agora, mas tudo bem, posso esperar".
Com treinamento, conseguiremos voltar nossa atenção para outras atividades e a sensação intensa de fome irá passar."
Tarefa 13: Super o desejo incontrolável de comer.
Não é das tarefas mais fáceis, mas meu músculo da resistência já está mais fortalecido!
Bom, segudo Judith quanto mais resistirmos ao desejo ficamos mais fortes pro próximo, que demorará mais a acontecer.
"A parte emocionalmente dolorosa do desejo é a batalha que você trava contra ele. Quando você começar a dizer a si mesmo, com total convicção, NÃO TENHO ESCOLHA, o desejo por comida irá diminuir.
ESTRATÉGIAS ANTIDESEJO
TÉCNICAS DE PROGRAMAÇÃO MENTAL
Você pode tomar algumas atitudes para contrariar o seu próximo desejo. Os primeiros cinco passos ajudam a preparar sua programação mental, e devem ser usados sempre que um desejo aparecer:
1. Rotular. Diga para si mesmo: “Este sentimento e só um desejo. Ele é desconfortável e intenso, mas (como a fome) ele também não é uma emergência”.
2. Permanecer Firme. Diga a si mesmo que, absolutamente, você não irá comer o alimento que é motivo desse desejo. Lembre-se de que realmente não quer fortalecer seu “músculo de desistência” e enfraquecer o de “resistência”. Pergunte-se se valerá à pena ceder a esse prazer momentâneo de comer. Pense como o fato de ceder irá minar sua auto-confiança.
3. Não se permitir escolha. A parte emocionalmente dolorosa do desejo é a batalha que você trava contra ele. Quando você disser a si mesmo, com absoluta convicção, “NÃO TENHO ESCOLHA” e se envolver em uma atividade qualquer, o desejo irá diminuir. (Você lerá mais sobre isso no Dia 16). O desejo não passará, no entanto, se você vacilar e dizer para si mesmo: “Isto é tão intenso, não sei se consigo suportar”: É claro que você consegue suportar! Pode ser desconfortável, mas nada de ruim vai acontecer se você resistir. Na realidade, durante alguns minutos, você se sentirá orgulhoso.
4. Imaginar o resultado de ceder. Vá em frente e pense em comer aquilo que está provocando esse desejo. Imagine esse alimento em sua boca. Quantos segundos você levou para comer? Por quanto tempo sentiu prazer? Agora visualize o resto do cenário - aquela parte da experiência na qual você não costuma pensar até que seja tarde demais. Imagine-se fraco e fora de controle. Imagine-se chateado, desistindo e comendo cada vez mais, sentindo-se cada vez pior. Está se sentindo pesado, deprimido? Quando começar a se entristecer com estas imagens, lembre-se quantas vezes desistiu antes, quantas vezes prometeu que não faria mais isso e como se sentiu desacreditado. Agora que já viu o cenário todo, o que lhe parece melhor: comer ou não comer?
5. Lembrar-se dos motivos que você tem para resistir aos desejos. Leia o seu Cartão de Vantagens. Você não será capaz de obter maravilhosos benefícios de emagrecer se não conseguir superar os desejos. Se você continuar a ceder, sempre estará correndo o risco de engordar.
TECNICAS COMPORTAMENTAIS
Se você ainda estiver motivado a comer algo que não deveria depois de usar técnicas de programação mental, experimente quantas técnicas comportamentais você precisar: 1. Ficar longe do alimento que lhe provoca desejo. Quando a visão ou o cheiro de um alimento desperta o desejo de consumi-lo, você pode guardálo onde não possa vê-lo ou se livrar dele (dar para alguém, jogar no lixo). Se não for possível tirar o alimento de sua frente, então saia você da frente dele. Deixe o local, vá para outro aposento, vá ao banheiro (e leia seu Cartão de Enfrentamento) ou saia.
2. Beber um líquido com pouca ou nenhuma caloria. A sede pode parecer fome e induzi-lo a comer. Pense em tomar um refrigerante, água com limão, sucos diluídos (se seu programa alimentar permitir), ou outra bebida de baixa caloria.
3. Relaxar. Você pode ensinar seu corpo a relaxar de muitas formas. Existem muitos CDs e livros com técnicas de relaxamento. Uma técnica simples consiste em prestar atenção em sua respiração: conte até quatro, vagarosamente, enquanto inspira e também quando expira. Faça respiração superficial; não deixe seu peito levantar e baixar. Espere e repita esse exercício pelos próximos três minutos. No final você estará mais calmo e controlando seus desejos.
4. Distrair-se. Você se lembra de quando uma distração natural interrompeu seu desejo e de como você ficou feliz, mais tarde, por não ter comido naquela hora? O telefonema de um amigo, talvez o cachorro insistindo para passear, ou a visita do chefe para discutir algo com você. Quando acabou de realizar o que precisava, seu desejo havia acabado ou enfraquecido. Você havia focalizado a atenção em outra coisa.

Ufa, por hoje é 'só'!
Beijo na bunda!





20 comentários:

  1. Que linda a história de vocês!!! É destino mesmo, hein?! Da mesma cidade e foram se conhecer pela internet, o outro lá em Londres??!?! Muito legal! Também conheci meu marido na internet... mas demoramos uns 6 meses para nos encontrar e 7 anos pra casar... ufa!

    Muitas felicidades à vocês!!! :)

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Ahhh que máximo sua história a minha nao teve tanta emoção como a sua mais tb por experiência própria posso dizer que amor virtual da certo conheci meu marido ele morando aqui no Japão e eu no Brasil Paraná rs. Adorei conhecer um pouquinho mais de vc lindasses fotos e vc e lindaaa bjs agora nem sei como falar tipo aqui e noite kk aí e que horas tipo vc acabou de postar o post?? Rsrs bjs mesmo assim vou desejar um lindo dia.

    ResponderExcluir
  3. Sche, mto legal a historia de voces..
    Bjosss

    ResponderExcluir
  4. Sche, que tudo a sua historia!
    Eu ja tinha visto que você morava em Londres, mas não sabia como tinha ido parar ai.. rs
    Que legal conhecer!
    Suas fotos do casamento são lindas! Você é muito linda sim, muié! :)
    Ebaaaaaa, postou o pense magro!

    Beijos, gata!

    ResponderExcluir
  5. Jesusss
    vc é corajosa heim..resumidamente em menos de um ano vc conheceu ele, noivou e casou, adorei tua história guria..e qndo vc foi pra Londres sabia ingles?
    Vc tava linda de noivaaaaaa, e não aparentava ter aquele peso nãooooo.

    Deve ser maravilhoso morar ali sim.
    bjoo

    ResponderExcluir
  6. Oi flor! Que delícia de história! Eu e meu marido nos conhecemos através da rede também, e no final tinhamos amigos em comuns, e mais um monte de coisas tbm rsrsrs
    Amei suas fotos!
    Bjsss (um dia quero ao menos conhecer Londres hehe)

    ResponderExcluir
  7. Sche!!!

    Sabe o que eu entendi de tudo isso? Que é muito caro morar em Londres. Rá! Mas deve valar a pena. Aprender inglês, poder viajar para outros países da Europa com maior facilidade e um monte de coisas boas. Você ganha 6x mais que no Brasil e gasta tudo, né?! Vou fazer de você minha muambeira predileta e passar uma lista de itens que gostaria de comprar mais barato. Business, darling. Rá, rá!

    Olha como a vida é engraçada: vocês se conheciam, mas só se apaixonaram depois. E eu entendi depois do que, viu dona Scheyla?! Rai ai... Que Deus continue abençoando vocês, que vocês sejam sempre unidos e felizes. Diz a Bíblia que quando a gente casa nossa família deixa de ser o pai, a mãe e irmãos, e passa a ser nosso cônjuge. Você está longe das pessoas que aprendeu a amar, mas está bem perto da pessoa a quem disse 'sim'. Então está tudo lindo.

    Eu amo cavalos. São tão sensíveis, cheirosos, amorosos... Nossa! Mas não gosto de rodeios porque tem violência contra animais (nem me diga que não) e eu não curto.

    Mas que ideia beber e montar numa moto, criatura! Haha. Só você mesmo.

    Eu já tinha visto essa tarefa 12 no blog da Marina e achei meio doideira. Mas depois de entender o motivo, achei aceitável (mas ainda assim perigosa). Acho que a gente tem mesmo que programar a mente e compreender que comida não dá prazer, só alimenta.


    Beijos! Aliás, kisses, porque você é internacional! =D

    ResponderExcluir
  8. Que linda familia!
    Mas e assim mesmo nada e perfeito, lugar bom mas longe da família.
    Mas vcs pensam em vir morar no Brasil?
    Mudando de assunto estou numa fome psicológica danada, difícil viu?!

    ResponderExcluir
  9. Adorei saber mais da sua história...e também adorei saber sobre Londres, tenho muita vontade de conhecer a Europa!!
    E que história de amor linda heim? Parabéns!!
    Quanto as tarefas, estou lendo todas e aprendendo lições pra mim..rs
    Bjnho

    ResponderExcluir
  10. Sche, amei ler sua historia!!! tb conheci meu marido na internet. Estamos juntos há 12 anos!!!! COnheço outros casos tb :)
    Acho vc linda demais!! Ficou maravilhosa de noiva! bjs

    ResponderExcluir
  11. tá vendo, tem coisa que vem para o bem...risos...se tivesse ido no carnaval não teria conhecido seu maridão pela net...rs lindo casal, parabéns...e vc é linda de qq jeito...mas é bom ficar magra para ter saúde. Adorando seu resumo do livro...bjs

    ResponderExcluir
  12. Ei Sche, eu juro que eu deixei um comentário aqui mais cedo falando que a achei a sua história muito bacana e que a sua família é linda.

    Obrigada pela tradução grátis.

    Beijão

    ResponderExcluir
  13. Gostei da diferença das fomes.. Aff a psicológica realmente é um carma.. Gostei do resumo de sua vida! Bjs!

    ResponderExcluir
  14. oi, cai de paraquedas aqui!!!!mas adorei a historia eu tb conheci meu marido por internet e casei e mudei mas tudo dentro de sc!!!sim eu sou de Chapecó n muito longe de Salete agora morro em Floripa!!!
    legal saber de historinhas parecidas com a minha (qse)hahahah felicidades

    ResponderExcluir
  15. esqueci de dizer !! adoro esses rodeios hahah!!!

    ResponderExcluir
  16. Linda historia de amor, Deus queria que vcs ficassem juntos é por isso que tudo saiu perfeito, bjus

    ResponderExcluir

  17. Adorei o seu blog! Estou começando a ler "Pense magro" e estou trabalhando o meu psicológico para me sabotar cada vez menos...

    Parabéns pela dedicação e controle! Obrigada pela inspiração!

    Beijo, Natti.
    www.backto55.blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. Uhuu que bom que vc testou e aprovou o salgado maromba!!!! Tb adorei o resultado! :)

    bjo linda e sucesso pra ti!!
    andrea

    ResponderExcluir
  19. Hahaha... Relacionamentos na internet podem dar certo sim, também aconteceu comigo!
    Eu conheci meu marido pela internet, namoramos 9 meses quando deixei tudo no Rio e fui para Floripa ficar com ele definitivamente. Nunca mais nos separamos. E esse ano vamos formalizar a união, fazer a coisa direitinho.
    Adorei seu blog, vou voltar mais vezes!
    Nota: Londres, um luxo!
    Bjoss

    ResponderExcluir

Toda palavra é uma grande ajuda!